Alberto Couto e Associados

Você conseguiria vender até um sonho?

“Vendendo sonhos” é um livro escrito pelo autor Guy Kawasaki que explica como cunhou o termo “venda missionária” e nos conta de maneira simples como fazer isso na prática.

A ideia de venda missionária começa em 1983 quando Steve Jobs, cofundador da Apple,

não conseguia empresas e nem interessados em criar softwares para os computadores que ele ajudou a criar e isso produzia um efeito cascata, pois assim, não conseguia clientes para vender os computadores.

Essa situação levou Jobs a fazer  uma peregrinação atrás dessas empresas e a resposta era sempre a mesma:

“Não vamos criar softwares pois você não vende computador.”

Apesar do apelo, não foi possível entrar em acordo com as empresas de software e assim foi que Kawasaki entrou nessa história.

Aqui está o que acontece.

Kawasaki ganhou a “missão”  de Steve Jobs de convencer as mesmas empresas que negaram a venda, a criarem o software que ele precisava.

E isso não é tudo.

A partir deste momento, nasce a venda missionária. Guy Kawasaki cunhou este termo e demonstra de maneira fácil e rápida, como vender para clientes que não querem comprar o que você está vendendo.

“Faça as pessoas acreditarem no seu produto”

Veja como é simples.

Na venda missionária, em primeiro lugar, é preciso que você faça as pessoas acreditarem que o seu produto será de grande valia para elas.

Mostre todas as vantagens que elas podem obter adquirindo o seu produto.

Também é preciso que o seu sonho, se torne o sonho dos clientes. Explique que os benefícios obtidos, serão duradouros e o investimento pode ser vantajoso.

Outro ponto importante é passar a ideia de que seu produto/serviço é uma causa.

Pessoas gostam de se sentir engajadas com algo, e nada melhor que você fazer isso com o que se pretende vender para elas.

A questão da causa é fundamental, pois as pessoas gostam de se sentir parte de um grupo.

Isso enriquece suas vidas e pode trazer novos desafios, movendo-as na direção de sua realização pessoal.

“Faça sua causa atrair as pessoas”

Qualquer que seja o motivo desse engajamento, aproveite isso da melhor maneira possível e explore essa informação para o melhor aproveitamento da venda.

E para fechar com chave de ouro.

No fim das contas, passe a ideia que a sua causa é atraente para as pessoas, faça com que elas enxerguem que estarão participando de algo maior, emblemático.

As pessoas gostam de terem a sensação de contribuir, se sentirem prestativas.

Esse é um ponto extremamente importante na venda missionária, portanto, mãos à obra e lembre-se:

Vender bem, é mais fácil.

Link para compartilhamento: http://bit.ly/2wzQjNW

Este post tem um comentário

Deixe uma resposta

Fechar Menu